27 de nov de 2012

Fumo 'apodrece' cérebro, diz estudo britânico

cigarro 'apodrece' o cérebro ao danificar a memória, o aprendizado e o raciocínio lógico, segundo um estudo feito por pesquisadores da universidade King's College London. A pesquisa feita com 8,8 mil pessoas com mais de 50 anos mostrou que alta pressão sanguínea e estar acima do peso também afetam o cérebro, mas não na mesma medida. Cientistas envolvidos na pesquisa afirmam que as pessoas precisam perceber que o seu estilo de vida afeta tanto a mente quanto o corpo.

A pesquisa foi publicada na revista científica Age and Being.
Os pesquisadores investigaram o elo entre o cérebro e as probabilidades de ataque cardíaco e derrame. Os voluntários da pesquisa – todos com mais de 50 anos – participaram de testes de memorização de novas palavras. Eles também eram instigados a dizer o maior número de nomes de animais em um minuto.
Os mesmos testes foram realizados após quatro anos e depois oito anos. Os resultados mostraram que o risco de ataque cardíaco e derrame "estão associados de forma significativa com o declínio cognitivo". As pessoas com maior risco foram as que mostraram maior declínio.
Também foi identificada uma "associação consistente" entre fumo e baixos resultados no teste. "O declínio cognitivo fica mais comum com o envelhecimento e para um número cada vez maior de pessoas interfere com o seu funcionamento diário e bem-estar", diz Alex Dregan, pesquisador que trabalhou no estudo.
"Nós identificamos uma série de fatores de risco que poderiam ser associados ao declínio cognitivo, e todos eles podem ser modificados. Nós precisamos conscientizar as pessoas para a necessidade de mudanças de estilo de vida por causa do risco de declínio cognitivo." Para Simon Ridley, pesquisador da entidade Alzheimer's Research UK, o declínio cognitivo ao longo dos anos pode levar a doenças como demência.
Outra entidade britânica de estudo do Alzheimer – a Alzheimer's Society – emitiu uma nota na qual elogia o estudo da King's College London. "Todos sabemos que cigarro, alta pressão sanguínea, altos níveis de colesterol e alto índice de massa corpórea fazem mal ao coração. Essa pesquisa acrescenta vários indícios de que isso pode fazer mal à cabeça também."

Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/11/121126_cigarro_apodrece_dg.shtml

10 de nov de 2012

Resultado Unipori


Algumas serpentes brasileiras


Definir qual a serpente brasileira é a mais perigosa é um assunto um pouco complexo, pois temos que levar em conta a quantidade de acidentes ofídicos, bem como as conseqüências do envenenamento.

Sem dúvida o maior numero de acidentes acontecem com as jararacas, cerca de 85% dos casos, sendo que não havendo a soroterapia as mortes podem chegar a 8%.

Logo depois temos os acidentes com as cascavéis, cerca de 9% dos casos, sendo que não havendo a soroterapia as mortes podem chegar a 72%, e 11% entre aqueles que receberam o soro anticrotálico.

A surucucu é a maior serpente peçonhenta das Américas. No Brasil os acidentes com essa serpente representa cerca de 2,5% do total. Não se sabe ao certo o número de mortes provocado pelo envenenamento dessa serpente, pois ela habita a floresta Amazônica, e muitos casos não são relatos as autoridades de saúde, mas acredita-se que o índice de óbitos seja grande, devido ao tamanho avantajado do animal (pode chegar a 3,5m) que tem a capacidade de injetar grande quantidade de veneno em sua vítima.

Finalmente temos os acidentes com a coral verdadeira, que representa apenas 1% do total. Quase 100% das pessoas envenenadas por essa serpente pode morrer se não tratada com o soro antiofídico, sendo que o índice de mortes entre as pessoas tratadas também é alto.

1º Coral verdadeira, quase 100% dos acidentados podem morrer se não tratados com o soro antiofídico;

2º Crotalus durissus ruruima, (subespécie de cascavel que habita as áreas abertas do estado de Roraima, seu veneno não é totalmente neutralizado pelo soro anticrotálico);

3° Jararaca Ilhoa, habita o arquipélago de Queimada Grande, no estado de São Paulo, se distingue das jararacas do continente por apresentar um veneno extremamente potente, podendo matar um ser humano em pouco minutos;

4º Crotalus durissus terríficus, subespécie de cascavel que habita desde o sul do Brasil até o centro oeste. Dentre as 5 subespécies de cascavel é a que ocasiona o maior numero de acidentes, e consequentemente o maior numero de mortes;

Jararaca, serpente peçonhenta responsável pelo maior numero de acidentes no Brasil, sendo considerada um problema de saúde pública em várias regiões do país;

6º Surucucu, serpente de porte avantajado que tem a capacidade de injetar grande quantidade de veneno em suas vítimas.


Fonte: http://cienciasvirtual-bio.blogspot.com.br/2011/02/serpentes-mais-venenosas-do-brasil.html