24 de mai de 2013

Manifestantes protestam contra Marco Feliciano em Astorga

Chuva, frio, acesso proibido à imprensa e uma manifestação distante, com 12 pessoas, marcaram a noite de pregação do pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) em Astorga (40 km de Maringá).
Prevendo a possibilidade de protestos, que chegaram a ser convocados pelo Facebook, Feliciano chegou ao templo da Igreja Presbiteriana Renovada por volta das 18h30, 1 hora e meia antes do início do culto. A imprensa foi proibida de entrar no templo, que ficou lotado para a comemoração do aniversário de 38 anos da igreja em Astorga.
Com capacidade para 300 fiéis sentados, o templo tinha pessoas à porta e em pé pelos corredores. O policiamento foi reforçado: normalmente com um efetivo de dois policiais militares à noite, Astorga contava com seis PMs e três viaturas na noite de ontem.
Um grupo de 12 manifestantes, formado quase que integralmente por moradores locais e reforçado por maringaenses, exibiu faixas e cartazes a mais de uma quadra de distância. “Não temos nada contra a igreja e os fiéis. Estamos aqui para protestar contra o deputado”, disse a gerente de loja Paula Tovani, moradora de Astorga.
“Ele (Feliciano) precisa saber que, apesar de minoria, aqui há cabeças pensantes, que não aceitam o discurso que negros e homossexuais são amaldiçoados”, completou, em referência a declarações polêmicas já dadas pelo deputado via Twitter. Feliciano preside a Comissão de Direitos Humanos da Câmara.
Mais tarde, já sem os cartazes, o grupo se aproximou da igreja e dois jovens tentaram se infiltrar entre os fiéis. Acabaram descobertos e foram convidados a se retirar pelos seguranças.
Feliciano começou a pregar por volta das 20h30. Não entrou em assuntos polêmicos e contou uma passagem de Jesus, que ele mesmo admitiu não existir na Bíblia. “A Bíblia não diz isso, mas como o senhor sabe? Porque sou inteligente”, perguntou e respondeu a si mesmo.
Enquanto Feliciano pregava, cinegrafistas e fotógrafos faziam malabarismos para captar imagens do outro lado da calçada. A salvação veio de um vizinho, que emprestou uma escada, para irritação dos seguranças. A pregação durou pouco mais de 1 hora e Feliciano saiu sem dar entrevistas.

 Fonte: http://maringa.odiario.com/parana/noticia/746526/manifestantes-protestam-contra-marco-feliciano-em-astorga/

18 de mai de 2013

Entrega de Convites para o Evangelismo em Sabáudia - Pr


Propaganda - Retiro Espiritual para Casais


15 de mai de 2013

Bactéria que vive em intestino pode reduzir obesidade

Os pesquisadores, da Universidade de Louvain, utilizaram uma amostra da Akkermansia muciniphila para reduzir o peso e diminuir o risco de diabetes tipo 2 em camundongos.
Eles observaram que a bactéria pode alterar o forro do intestino e a forma como a comida é absorvida. A Akkermansia muciniphila responde por até 5% das bactérias que habitam o intestino humano, mas seus níveis caem quando há obesidade.Durante a experiência, os camundongos foram tratados com uma dieta rica em gordura, resultando no ganho de peso dos roedores. Posteriormente, eles receberam doses da bactéria e perderam metade do peso adquirido sem que fosse feita qualquer alteração na dieta.
Os camundongos tratados com a bactéria também acusaram baixos níveis de resistência ao hormônio insulina, um sintoma clássico da diabetes tipo 2. Segundo os cientistas, a bactéria aumenta a espessura da barreira mucosa do intestino, impedindo que algumas substâncias passem para a corrente sanguínea.
O micro-organismo também alterou os sinais químicos emitidos pelo aparelho digestivo, mudando as formas como a gordura é processada em várias partes do corpo.
O professor Patrice Cani disse que a pesquisa indicou uma melhora no quadro da obesidade dos animais.
"Não conseguimos reverter a obesidade completamente, mas observamos uma grande queda nos níveis da massa de gordura", disse Cani."Esta é a primeira demonstração de que há uma relação entre uma espécie específica de bactéria e a aceleração do metabolismo", disse ele, acrescentando ter ficado surpreso com o fato de que apenas uma espécie de bactéria, em meio a milhares que habitam o intestino, pode ter reduzido a obesidade nos camundongos.

Testes em humanos

Testes semelhantes agora devem ser feitos para avaliar se a bactéria pode reduzir obesidade em humanos.
Pesquisas passadas já indicaram que há diferenças entre os tipos e quantidades de bactérias nos intestinos de pessoas magras e obesas. O microbiologista Colin Hill, da University College Cork, disse que os resultados da pesquisa são animadores.
"Já tivemos vários estudos mostrando a relação entre bactéria e ganho de peso, mas esta é a primeira vez que uma intervenção funciona". Ele pondera que a pesquisa não deve levar as pessoas a pensar que podem comer bolos, batatas fritas e linguiças, achando que depois poderão "comer" a bactéria para anular o efeito das calorias. Ele espera que o estudo leve a um maior entendimento sobre como a bactéria age no intestino e auxiliar nas dietas de quem está tentando emagrecer.

fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/05/130515_bacteria_obesidade_fl.shtml

5 de mai de 2013

Iasd de Astorga presente na 10a Festa das Primícias - Mamborê, PR

Neste sábado (04) a 10a Festa das Primícias foi realizada no município de Mamborê, PR . A celebração recebeu visitantes de diversas regiões do Paraná e de outros estados. Mais de três mil pessoas assistiram ao programa.
O significado da festa se origina no simbolismo bíblico de agradecimento a Deus pela produção agrícola. Por ocasião da páscoa os judeus doavam para o templo a primeira safra das suas plantações, com o intuito de manter os rituais e serviços religiosos. No entanto, o objetivo de ofertar os alimentos, estava além da manutenção do templo e dos sacerdotes que ministravam nele. A Festa das Primícias era uma forma de testemunhar publicamente que, o resultado de todo bom trabalho, vem de Deus.
Atualmente, a Igreja Adventista do Sétimo Dia mantém o conceito bíblico da gratidão e fidelidade. Na bíblia, o apóstolo Paulo adverte: "Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco." I Ts 5:18. Foi exatamente esse sentimento que motivou a realização da primeira festa. Dez anos se passaram desde que, cerca de oitenta agricultores, se reuniram na pequena Igreja de Mamborê Sítio para agradecer a Deus pelos bons resultados da colheita anual. Hoje, milhares de pessoas migram de diversos lugares do país para aprender com esta comunidade que honra a Deus com a sua forma adoração. De 2010 para cá, o número de visitantes multiplicou quatro vezes.
Paralelo ao evento, estavam o atendimento móvel do Hemonúcleo de Campo Mourão, realizando a coleta de sangue, e uma equipe de saúde, aplicando o teste de equivalencia entre a idade cronológica versus idade biológica. No local foi possível aprender quais as vantagens de manter um estilo de vida saudável. De acordo com a coordenadora do serviço social do Hemonúcleo de Campo Mourão, Neide Goes Ludewig, a quantidade de sangue coletada todos os anos no dia da Festa das Primícias, é equivalente ao que se conseguiria em uma semana." A média diária de coleta no Hemonúcleo varia entre 8 a 10 doadores. Na Festa das Primícias, conseguimos cerca de 70 doadores. Isto é mais do que se conseguiria em uma semana" relata. Esteve presente a IASD de Astorga nesse evento especial.
Fonte: http://www.usb.org.br/mordomia/noticia/festa-das-primcias-rene-mais-de-3-mil-pessoas-em-mambor-pr-9033