Astorga, a Cidade...


Astorga
 Tudo o que aconteceu faz parte do que somos hoje.
Astorga tem 25.164 habitantes, de acordo com a estimativa do IBGE em 2009. Está localizada no noroeste do Paraná, a 416 quilômetros da capital do Estado e a 49 quilômetros de Maringá. Com área de 435,994 km2 quilômetros quadrados, Astorga foi criada como distrito administrativo de Arapongas, em 1947. A partir da Lei Estadual nº. 790, de 14 de novembro de 1951, foi criado o município de Astorga, que só foi instalado oficialmente em 14 de dezembro de 1952, sendo desmembrado de Arapongas. Em 8 de maio de 1945, mesmo dia do fim da Segunda Guerra Mundial, o engenheiro chefe do Departamento de Topografia e Procurador da Companhia de Melhoramentos Norte do Paraná elaborou o projeto do patrimônio de Astorga. Concebeu-o em forma de triângulo, simbolizando a letra "V", em comemoração a vitória dos aliados.

O nome 

Há duas versões para justificar o nome dado ao município. A primeira é de que o nome Astorga foi dado pelo engenheiro e agrimensor russo, Wladimir Babkov, que chegou ao Brasil na década de 30 e prestou serviços para a Companhia de Terras Norte do Paraná. O nome Astorga, segundo Wladimir Babkov, foi escolhido após girar um globo terrestre e parar com o dedo indicador sobre o nome Astorga, município da Espanha, na província de Leon. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga que a nomenclatura foi dada em homenagem à cidade natal do general Ascoot, um dos diretores da Companhia de Terras Norte do Paraná, natural do Condado de Astorga, localizado na Inglaterra. Etimologicamente o termo Astorga origina-se do latim “Asturica”. Augusta: cidade romana no país dos Ástures, dedicada a Augusto, Imperador Romano.

Primeiros moradores

Os primeiros moradores de Astorga foram Antenor Domingues, que veio com a mulher e sete filhos, juntamente com o casal Miguel Francisco da Costa e esposa. Astorga está dividida entre sede (com 18.056 habitantes) e, três distritos: Santa Zélia (com 3.402 habitantes), Içara (com 1.051 habitantes) e Tupinambá (com 1.746 habitantes).

Comunicação 

No setor de comunicação, o município de Astorga conta com uma rádio AM, três FM’s e uma Rádio comunitária (Rádio Astorga AM, T FM, Jovem Pan FM e Interativa Rádio Comunitária). No jornalismo impresso, contamos com circulação semanal do Jornal Folha Regional. A rádio “Astorga AM” entrou no ar em 1954, na mesma época em que estava em circulação o jornal “A Folha de Astorga”: primeiro veículo de comunicação impresso, que circulou no município, de 1953 a 1955. Em 1958, foi fundado “A Comarca de Astorga”, que encerrou suas atividades em 1969. Já o “Independente” circulou durante o ano de 1959. Em 1980 existiu o “Folha de Astorga”, que era editado em Arapongas. Outros jornais também circularam no município por curto período de tempo, entre eles “O Esporte em Foco”, “A Voz de Astorga” e o “Seraphim”. Em 1988, foi cedida concessão de radiodifusão à “FM Turquesa”. Na década de 90 foi criada a “Rádio Sociedade Rural Fm”, hoje com o nome fantasia de “Maia FM”. Na história do impresso foi fundado, em 1995, “O Pirapó”, que teve curta existência. Em 1996, o mesmo jornal ressurge com o nome fantasia de “O Noroeste”, que por ser distribuído gratuitamente não conseguiu se manter no mercado. Astorga carecia de um meio de comunicação impresso, e em 2000 foi criado o “Paraná Jornal”, que circulou no município até 2009, ano em que foi fundado o “Folha Regional”, que circula em Astorga e região. Astorga conta também com serviços de correio e um provedor de internet. Não há canal de televisão no município.

Prefeitura

A atual estrutura física da Prefeitura de Astorga foi inaugurada em 14 de dezembro de 1968, 16 anos após a instalação do município. A primeira prefeitura, instalada onde hoje funciona o correio da cidade, foi criada quando o município desmembrou-se de Arapongas, em 1952. O primeiro prefeito foi o pioneiro Ermelindo Lopes Barroso, que tomou posse em 14 de dezembro de 1952 e administrou o município de 1953 a 1956. Hoje, Astorga é administrada por Antônio Carlos Lopes, filiado ao PTB (Partido Trabalhista Brasileiro). Ao todo, a Prefeitura de Astorga tem 870 funcionários, divididos em 14 departamentos que estão ligados a três secretarias: Infraestrutura, Desenvolvimento Urbano e Econômico; Desenvolvimento Humano e Social; Administração e Finanças. O Paço Municipal está localizado na Av. Dr. José Soares de Azevedo, n.º 48. Fone: (44) 3234-8700.

Área: 434.781 Km²
Altitude: 634
Latitude: 23 11’ 00’’ Sul
Longitude: 51 09’ 00’’ W – GR
Denominação dos habitantes: Astorguenses.
Data de Emancipação do Município: 14 de dezembro de 1952
Principal Festa: Carnaval popular

Pontos Turísticos: Praça Chitãozinho e Xororó; Igreja Matriz Católica; Igreja Santa Terezinha do Menino Jesus; Chácara Hirata; Praça Luiz Bérgamo; Praça do Japão; Praça Ermelindo Lopes Barroso

Algumas festas realizadas no Município: Sukiyaky (Promovida pela Associação em Defesa do Meio Ambiente - Sodema e preparada pela Aceast - Associação Cultural e Desportiva de Astorga; Leitoa Desossada a Pururuca (Promoção do Rotary Clube de Astorga); Festa da Piapara (Promoção do Rotary Clube de Astorga “Rainha da Amizade”).

Economia

Com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,750 e população economicamente ativa de 12.692 pessoas, Astorga é uma cidade industrial, cujo setor representa 40% do Produto Interno Bruto (PIB) local, acompanhado de perto pelos setores de comércio e serviço, com representatividade de 36% na economia e o agronegócio, com 24%. Duas cooperativas impulsionam a economia do município, acompanhadas pela produção rural, com o plantio de cana-de-açúcar, soja, milho e trigo. Além de gado de corte e leite, o destaque vai também para a produção dos aviários instalados no Município.


Brasão de Astorga


Quando surgiu:
O atual brasão de Astorga foi adotado em 8 de maio de 1975, através da Lei Municipal nº 632/72-E, a pedido do então prefeito Ricieri Resquetti. A mudança foi feita, pois o brasão antigo não enfocava detalhes a respeito de Astorga.
Quem foi o responsável pela sua criação:
O brasão foi de autoria do heraldista Professor Arcinos Antonio Peixoto de Faria, da Enciclopédia Heráldica Municipalista.
O escudo samnítico:
Usado para representar o Brasão de Armas de Astorga, foi o primeiro estilo de escudo introduzido em Portugal por influência francesa, herdado pela heráldica brasileira como evocativo da raça colonizadora e principal formadora de nossa nacionalidade.
A coroa mural:
É símbolo universal dos brasões de domínio que, sendo de argente (prata), de seis torres, das quais apenas quatro são visíveis em perspectiva no desenho, classifica a cidade representada na terceira grandeza, ou seja, sede de Município a ilumina de goles (vermelho) pelo significado heráldico da cor. Lembra as qualidades próprias dos dirigentes da comunidade.
O metal jalde (ouro) do canto do escudo:
É símbolo de glória, esplendor, grandeza, riqueza, soberania.
Em abismo (centro ou coração do escudo):
O leão rompante de goles (vermelho) firmado em pala uma espada de argente (prata), das armas da Província de Leon da Espanha, lembra o objetivo da escolha do topônimo "ASTORGA" da cidade espanhola, em homenagem à colônia desse país, visando atrair colonos.
A cor goles (vermelho):
Simboliza a dedicação, amor pátrio, audácia, intrepidez, coragem e valentia.
As buzinas de caça, estilo boiadeiro, de sable (preto):
Representam no brasão, a pecuária de corte e leiteira, que se destaca na economia do município.
A cor sable (preto):
É símbolo de prudência, sabedoria, moderação e firmeza de caráter.
Ao termo (parte inferior do escudo):
A asna ou chaveirão de blau (azul) carregada de três abelhas do argente (prata), lembra no brasão o desenvolvimento da sericultura no Município.
A cor blau (azul):
É símbolo de justiça, nobreza, perseverança, zelo e lealdade e o metal argente (prata) simboliza a paz, amizade, trabalho, prosperidade, pureza e religiosidade.
Em ponta:
O galináceo representa no brasão, a avicultura, outra atividade econômica em destaque.
Nos ornamentos exteriores:
O café e o milho, apontados os principais produtos oriundos da terra dadivosa e fértil, esteios da economia Municipal.
Nos lites de goles (vermelho):
Em letras argentinas (prateadas), inscreve-se a topônimo identificador "ASTORGA".